Gilberto Melo

Danos morais curiosos

A variedade dos casos de dano moral julgados pelo TST revela inúmeras situações em que trabalhadores são submetidos a situações vexatórias. A “criatividade” dos lesantes parece inesgotável.

* Em algumas empresas, vendedores que não cumprem metas têm de pagar “prendas”  ridículas, como se vestir de palhaço ou correr com um capacete de morcego em volta de uma praça pública. 

* Um operador de câmera da RedeTV! era chamado pela apresentadora, ao vivo, em programa noturno, de “Todinho”  (“porque é marronzinho e tem um canudinho pequenininho“).

* Em Santa Catarina, um operador de telemarketing era tratado pelos chefes e colegas de “cavalo paraguaio“. 
 
* Em São Paulo, um ferroviário ganhou dos colegas o apelido de “javali” – aquele que já valeu alguma coisa para a empresa, mas não valia mais. 

* Recentemente, outro vendedor ganhou ação contra a Ambev porque as reuniões “motivacionais” tinham como convidadas garotas de programa e strippers. 
 
* E no TRT-RS uma rede de lojas pagou indenização porque o gerente chamava, repetitivamente, uma vendedora de “gorda obesa deselegante“.

 
Gilberto Melo

Gilberto Melo

Ver Artigos